Em 2015, a justiça brasileira teve a brilhante ideia de permitir que a mediação pudesse ser realizada fora dos Tribunais. Então, aprovou a Lei 13.140, conhecida também como Lei da Mediação.

A mediação tem a premissa de resolver qualquer tipo de conflito, assim como o atendimento. E com o passar do anos, a sociedade como um todo evoluiu sua forma de entender e de resolver qualquer tipo de conflito.

Os atendimentos ganharam ferramentas e mais autonomia para resolver pequenos problemas, enquanto a mediação tornou-se obrigatória em todos processos que tramitam na justiça brasileira. Tudo com o objetivo de tornar o processo de solução mais humano, preocupado e focado nas pessoas.

A grande questão é que por mais que ambas sejam processos ágeis, quando vinculadas ao sistema judiciário, acabam sofrendo com a burocracia e demora de solução.

A Lei e os Direitos Humanos

A Lei da mediação foi sancionada em 26 de junho de 2015 e, resumidamente, permite que a mediação seja realizada fora dos Tribunais e se feita dentro das lei, possui a mesma validade jurídica.

Ela ganhou força para ser sancionada, por causa da publicação do Novo Código de Processo Civil (Novo CPC) – Lei 13.105, que aconteceu no mesmo ano e que traz nos seus artigos o posicionamento de incentivo à mediação de conflitos.

Enquanto isso, a ONU sempre foi uma das grandes defensoras dos Direitos Humanos e tem a mediação como ferramenta de trabalho, desde a sua fundação. Por isso, tem bagagem o suficiente para orientar e propor muitas práticas que deram certo pelo mundo afora.

Tanto que, em 2012, lançou um portal chamado Peacemaker, que reúne uma porção de conteúdos sobre mediação de conflitos. Inclusive, possuem até um aplicativo com orientações e suporte para todos os tipos de públicos que atuam com mediação, sendo sociedade comum, organizações, cargos governamentais, mediadores judiciais e extrajudiciais.

E seguindo essa linha de raciocínio, a justiça brasileira amadureceu a ideia e colocou em prática com a Lei da Mediação.

Mas o que seu atendimento tem a ver com tudo isso?

No atendimento, estamos na constante busca de oferecer a melhor experiência para o nosso consumidor. Nos preocupamos com jornada do cliente, qualidade de serviço e, principalmente, resolver qualquer tipo de problema que chegue no nosso colo. Tudo da forma mais pacífica e humanizada possível!

Talvez a mediação, os Direitos Humanos e seu atendimento têm muito mais coisas em comum do que podemos imaginar, né? Então, por que não conhecer a fundo sobre a mediação e aplicar no

Por isso, vale a pena entender o funcionamento da mediação, suas técnicas e colocar em prática no seu atendimento. Inclusive, falamos sobre como aplicar algumas dessas técnicas e você pode ver AQUI.

Quer saber mais sobre mediação? Fale com a gente:

Deixe uma resposta