Por: Victoria Cruz


O sonho de todo e-commerce é manter o fluxo de clientes sempre alto e estável. Você já sabe que o bom atendimento e relacionamento são fundamentais para a fidelização de seus clientes, mas está atento às tendências de logística?

Em agosto deste ano, a venda online com retirada de produtos em lojas físicas já representava 10% do total de pedidos do comércio online, segundo levantamento feito pela Ebit/Nielsen. Foi a primeira vez em que esse tipo de entrega se destacou.

Quando a ordem é facilitar a vida do consumidor, você deve obedecer. Além da entrega dentro do prazo combinado, garantir que o cliente consiga rastrear seu pedido sem problemas e ser eficiente para corrigir qualquer erro de entrega ou defeito no produto, saiba que nem sempre seu cliente estará em casa para receber o pedido.

Você já conhece as novas leis do SAC para e-commerce? Saiba mais aqui

Retirando na loja

Dar ao consumidor a opção de poder escolher quando e onde retirar seu produto pode ser uma ótima saída. O estudo da Ebit/Nielsen apontou ainda que os indicadores de satisfação do cliente são mais elevados entre os que retiram produtos na loja do que entre os que recebem em casa.

Entre os consumidores que retiraram produtos em pontos físicos, o índice de entrega dentro do prazo é de 97%, enquanto o índice para produtos enviados via frete é de 83,4%.

Essa satisfação está ligada ao controle que a loja oferece ao cliente para que ele mesmo decida quando é mais conveniente buscar o produto, de acordo com a sua própria necessidade. Além disso, o contato com a loja física trás também o atendimento humanizado, pelo contato com os vendedores, e mais segurança para o consumidor que não confia na entrega.

Com datas de enorme movimento no comércio se aproximando, como Black Friday e Natal, é mais importante do que nunca se atentar aos melhores meios de garantir a satisfação dos seus consumidores, lembrando-se sempre de que o cliente evolui e o seu negócio deve se mover junto.

Quer saber porque você deve investir na Black Friday 2018? Leia aqui

Fontes: Pequenas Empresas & Grandes Negócios

Deixe uma resposta