Durante o monitoramento do Reclame AQUI na Black Friday, de quinta-feira, dia 21, até sexta, dia 23, foram realizadas 5,6 mil reclamações.

Só o Estado de São Paulo representou 41,3% do volume total de queixas, seguido de Rio de Janeiro (12%), Minas Gerais (10,7%), Paraná (4,7%) e Rio Grande do Sul (4,3%). Dos 26 estados brasileiros, mais Distrito Federal, apenas Acre não registrou reclamações neste período.

Os consumidores do Sudeste foram os que mais reclamaram, 65,7%. Na segunda posição, com 12,7%, ficou a região Nordeste do país, seguida do Sul, com 12,4%, Centro Oeste, com 8,1%, e Norte, 1,1%.

Celulares e smartphones são destaques

Em 12 estados, celulares e smartphones estiveram entre as categorias de produtos  que geraram mais reclamações em 2018.

São eles Alagoas, Amazonas, Bahia, Ceará, Goiás, Minas Gerais, Mato Grosso do Sul, Pernambuco, Paraná, Rio de Janeiro, São Paulo e Tocantins.

Nos estados onde estes produtos não lideraram as reclamações, os setores de viagem e alimentação se destacaram.

No Distrito Federal, por exemplo, a categoria de Delivery Alimentação foi a que mais gerou queixas, seguida de Informática e Companhias Aéreas que, por sua vez, ficou entre os problemas mais comuns no Maranhão, Mato Grosso, Piauí, Rio Grande do Norte e Rio Grande do Sul.

Leia também: Por que consumidores e empresas viveram Black Fridays diferentes?

Propaganda enganosa: onde não teve?

As reclamações sobre propaganda enganosa e maquiagem de preço dominaram os rankings gerais da Black Friday 2018.

Mas em alguns estados, esse problema não ficou entre as três mais comuns. Foi o caso do Amazonas, Pará, Piauí, Rondônia e Sergipe que tiveram, em comum, problemas com finalização de compra, divergência de valor e relacionados a pagamento

Deixe uma resposta